Chats RCI
PAGUE-SE O QUILOWATT/HORA E NÃO A ALTURA DO USO E LUTE POR UM CONTADOR SEM IRRADIAÇÃO MICROONDAS E/OU ELECTRICIDADE SUJA
Tome o seu tempo e leia, valerá cada minuto


Palestras sobre a poluição electromagnética
Paulo Vale - Helder Luís

É para este tipo de negociatas e outras mais negras que os
contadores inteligentes e a grelha inteligente está a ser implementada

quinta-feira, 16 de Maio de 2013

Novo problema crítico dos contadores inteligentes


Os contadores digitais (inteligentes) que permitem a telecontagem geram três grandes problemas para os clientes:
  1. Eleva ainda mais a exposição de irradiação na faixa das microondas, fazendo-o com uma proximidade perigosa. 
  2. Geram muita electricidade suja (4Khz à 60Khz, que pode ir até aos 100Khz), problema que se agrava com a multiplicação de contadores iguais, produtores de "ruídos" de fundo muito similares que intensificam mutuamente por ressonância, espalhando por toda a rede de abastecimento público de electricidade até à tomada da sua mesinha de cabeceira.
  3. Esta pressão electromagnética cai-lhe em cima dia e noite, todos os dias do ano, sem descanso. Este facto devería-nos questionar sobre a bondade do silêncio das organizações ecologistas que promovem "o progresso verde" juntamente com os interesses empresariais. Esta pressão electromagnética só pode ser perigosa para a Vida, uma vez que somos seres de natureza electromagnética e quem nega isso não pode vir afirmar que não há perigo. Todos sabemos que há dinheiro a fazer-se às custas das vidas da população e do estado de ignorância, foi assim com o tabaco, com o amianto entre muitas outros coisas. A falta de precaução tem responsáveis, a generalização maciça da tecnologia microondas só pode ser explicada no seio de uma agenda oculta que dá Poder a uns e dinheiro a outros. Tudo às suas custas.

Contadores inteligentes e as interferência da electricidade suja em equipamentos caseiros:

  • Mais um caso que me chegou hoje, um portão de garagem que dispara e/ou deixa de responder ao comando portátil, para além da interferência com a internet, o telefone e outros equipamentos. 
  • A chamada de um técnico só veio confirmar como é frequente o problema quando se instalam contadores digitais, os inteligentes. Ele próprio conhecia muitos outros casos na zona da linha de Sintra. O técnico disse nada de errado haver com o portão, provavelmente existiria uma sobreposição de uma influência electromagnética e tudo voltará ao normal com a atenuação dessa influência.
  • Estamos a falar da electricidade suja, os harmónicos de frequência que se espalham pelas linhas de cobre, uma cacofonia que se amplia por ressonância de frequências. Até hoje, a variedade de modelos e marcas de equipamentos ligados à rede eléctrica costumava ter um efeito benéfico, subtraindo muito desse "ruído" eléctrico de fundo, no entanto, com a crescente multiplicação dos mesmos equipamentos (como no caso dos contadores inteligentes), o efeito é inverso e resulta num somatório da intensidade de determinadas frequências.

A falta de honestidade para com os clientes e a Saúde Pública

  • Qualquer investimento dito "verde" é uma fraude sempre que é feito à custa do aumento de factores de risco para a saúde da população. A saúde é algo que nos sai a todos muito mais caro. Além disso, o custo de comprar, instalar e operar milhões de novos contadores, dispensando os funcionários da contagem é de difícil aceitação no contexto actual. Como disse antes, só podemos explicar a situação no seio de uma agenda oculta que dá Poder a uns, dinheiro a outros e a desgraça a si, tanto na carteira como na saúde e ambas de remediação muito difícil.
  • O problema da electricidade suja gerada pelos novos contadores anda a ser-nos escondido, essa é a razão da criação deste blogue que pretende ter uma visão alargada do contexto de bastidores e porque cada vez mais vozes responsáveis se levantam no mundo contra estas tecnologias inteligentes. Afinal a única coisa que parece estar a ser consolidada são o aumento das doenças degenerativas, a incidência do cancro e o fim da privacidade (controlo sobre a nossa própria vida). 
  • O funcionamento dos contadores inteligentes é muito nocivo para os seres vivos, se as perturbações electrónicas sobre equipamentos desprotegidos são uma realidade, imagine os efeitos sobre as funções que suportam a Vida. Não é por acaso que há legislação e regulamentação da UE muito desenvolvida sobre a protecção de equipamentos electrónicos, infelizmente a nossa vida parece valer menos
  • Há casos comprovados, por exemplo, de acidentes de automóvel por influência de perturbação electrónica, nomeadamente de altas frequências de comunicações. Imagine o que um router Wi-fi pode fazer por debaixo do condutor de autocarros. Esta é uma realidade a generalizar-se e a menos que os condutores desliguem os routers para se protegerem a si mesmos, existe a real possibilidade de interferir com o sistema nervoso do condutor e isso constituir um sério risco profissional e de segurança rodoviária
  • Um facto desconhecido e pouco falado é alta morbilidade dos condutores dos Metros, os motores eléctricos geram um nível elevado de gauss, quando estão em funcionamento. Lá porque tinha pensado nisso ou porque não houve falar isso não resolve os problemas existentes. Imagine agora se os automóveis se tornarem eléctricos, seria uma nova fonte de exposição diária a radiação electromagnética perigosa.



Este artigo traduzido confirma todas as suspeitas.

O novo problema crítico dos contadores inteligentes: a fonte de alimentação (SMPS)

New Critical Problem with ‘Smart’ Meters: 
The Switching-Mode Power Supply (SMPS)

por Mary Beth Brangan e James Heddle
30 de Março, 2011




Logo agora que você pensava estar seguro se recusasse a instalação do contador inteligente. Ironicamente, agora que a PG&E (a EDP dos EUA) está a oferecer a desactivação da função de telemetria microondas (por um preço elevado) nos seus contadores inteligentes, descobrimos que há um outro problema extremamente crítico com os contadores.

Agora que você pensava ter dominado todas as siglas esotéricas e todos os problemas com os contadores "inteligentes", aqui vai mais um palavrão: fonte de alimentação do modo de comutação (Switching-Mode Power Supply) ou SMPS. Este novo elemento na polémica 'inteligência' dos contadores merece a atenção mais completa e imediata do público.

Continuamos a investigar a razão porque os chamados contadores "inteligentes" (...) estão a encontrar uma crescente oposição na opinião pública, causando desconforto e enfermidades a tanta gente, bem como outros problemas em equipamentos eléctricos e electrónicos, felizmente que temos encontrado o apoio e o conselho de engenheiros eléctricos.


No exame dos contadores típicos, incluindo ABB, GE, e Landis Gyr, eles relatam que, além do seu transmissor de radiofrequência, cada contador digital sem fios também possui um componente chamado "fonte de alimentação do modo de comutação" (SMPS) - comutação de alimentação, para encurtar (o transformador). A sua função é a de "descer" a corrente alterna de 240v (AC) vinda da rede pública, para os 2 a 10 volts de corrente contínua (CC) necessária para o funcionamento da electrónica digital do contador, a que regista os dados de uso de energia eléctrica da casa a que está ligado.

A função SMPS emite constantemente, dia e noite, rajadas de curtos picos de radiofrequência. A SMPS no modelo NIC OWS 514, por exemplo, que é o modelo de contador inteligente amplamente instalado pela PG&E em todo o seu território foi medido a emitir picos de até 50.000 Hz e superior. Esta pulsação constante, para além da função de microondas, está a causar não só a interferência com outros equipamentos eléctricos e electrónicos mas também provoca danos em sistemas biológicos. (veja os próximo links)

Electricidade Suja 
Quando a corrente flui através dos cabos eléctricos do edifício gera um campo electromagnético que irradia tudo ao redor dos fios, em ângulo recto à direção do fluxo da corrente e estende-se a todas as tomadas de casa.

É sabido que os transformadores geram picos de interferência electromagnética (EMI) ou transientes de alta frequência, que, em seguida, viajam ao longo dos fios eléctricos nas paredes, irradiando para fora, o seu campo electromagnético.


Estes picos são conhecidos como "electricidade suja" e são absorvidos pelo corpo humano (esta gama de radiofrequências é a mais facilmente absorvida). Esta função está em todos os contadores inteligentes usados ​​pelos serviços públicos e está sempre a funcionar, dia e noite. [Para mais informações sobre electricidade suja confira o site do Dr. Sam Milham e o seu novo livro, ELECTRICIDADE SUJA: Electrificação e as doenças da civilização (...)] 

Um dos engenheiros explica desta forma: 
"As medições exaustivos demonstraram que todos os contadores medidos até agora, incluindo os da ABB, GE e Landis Gyr, emitem ruídos na cablagem eléctrica do consumidor, sob a forma de picos de voltagem de alta frequência, normalmente com uma amplitude de 2 volts, mas com uma frequência em qualquer lugar entre os 4000 Hertz e os 60.000 Hz. A frequência real dos fenómenos é influenciada pelos dispositivos que estão conectados à energia do cliente. Algumas casas são muito piores do que outras e esta observação foi confirmada pelos instaladores da PG&E que falaram connosco." 

Wikipedia concorda que SMPSs tem esta desvantagem:
"As desvantagens incluem uma maior complexidade, a geração de energia de alta amplitude e alta frequência que o filtro deveria bloquear a fim de evitar a interferência electromagnética (EMI) e uma tensão de ondulação na frequência de comutação e as frequências harmónicas das mesmas. 
  • SMPSs muito baratos podem injectar electricidade suja na rede eléctrica local, causando interferência com equipamentos A/V conectados à mesma fase.  
  • SMPSs sem rectificador de onda também causam distorção harmónica."

Outra falha fatal nos contadores 'inteligentes'
Os nossos consultores acreditam que é essa 'energia suja' gerada pelos contadores electrónicos, a principal causa na base dos sintomas relatados por um número crescente de pessoas, sempre que a instalação destes contadores é feita, até agora isto tem sido uma observação consistente.

A hipótese de pagar para 'recusar' é o compromisso apresentado pela PG&E, onde à custa do contribuinte é desligado o emissor de microondas do contador inteligente mas a electricidade suja "não é eliminida", ela passa e flui pela cablagem dos edifícios, e por isso, os efeitos negativos sobre a saúde dos ocupantes do edifícios permanecem.

Esta é mais uma razão para a CPUC (Comissão dos Serviços Público da Califórnia) declarar uma moratória sobre a implementação dos contadores electrónicos ou inteligentes, (...).



Observações adicionais:
  • A electricidade suja é um subproduto recente da tecnologia 'eficiente', por exemplo: computadores, frigoríficos, TV's de LED e plasma, lâmpadas flourescentes, económicas e interruptores de intensidade variável (reóstatos). Os transientes de voltagem de alta frequência são um relativamente novo suspeito carcinogénio.
  • "Cargas opostas atraem-se e semelhantes repelem-se. Quando um transiente está positivo, os electrÔes negativos do seu corpo movem-se para a carga positiva e vice-versa. Recorde-se que estas flutuações ocorrem muitos milhares de vezes por segundo, os electrões do seu corpo oscilam em sintonia e acabam por gerar uma carga parasita ao seu organismo, você está basicamente ligado aos transientes do campo eléctrico.”
  • Um 2ª artigo: http://www.prevention.com/electroshocker/index.shtml:
“Uma notícia cita mais de 2,000 estudos que relacionam a exposição crónica a baixos níveis de radiação podem causar uma variedade de cancros, enfraquecer o sistema imunitário e contribuir para a doença de Alzheimer, demência, doença cardíaca e muitos outros padecimentos. Microondas ou electricidade as ameaças somam-se.